Gian Lopes é recebido por Michel Temer e pede ajuda para manter Guido Guida

726

O prefeito de Poá, Gian Lopes, foi recebido na manhã de hoje (28) pelo presidente da República, Michel Temer, para solicitar recursos para que o Hospital Municipal Guido Guida não seja fechado. Durante e encontro, que foi acompanhado pelo vice-prefeito e secretário de Saúde, Marcos Ribeiro da Costa, o Marquinhos Indaiá, pelo ex-prefeito Miguel Comitre, pelo deputado federal Roberto de Lucena, pelo presidente da Associação Paulista de Municípios (APM), Carlos Cruz e pelo ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência, Antonio Imbassahy, o chefe do Executivo poaense teve a oportunidade de falar pessoalmente para Temer sobre a grave crise que o município vai enfrentar com a queda de arrecadação devido a nova lei do ISS (Imposto Sobre Serviços).

“Foi uma reunião muito produtiva. Entregamos para ele um relatório demonstrando a situação do hospital e pedindo a destinação de recursos para Poá e assim a unidade de saúde possa permanecer de portas abertas. Vamos agora aguardar um retorno, mas estamos muito otimistas que teremos êxito na nossa luta. Não estou medindo esforços para manter a unidade funcionando”, comentou Gian Lopes. “Agradeço ainda a participação na reunião do ex-prefeito Miguel Comitre, que teve uma relação próxima com Michel Temer quando ele foi secretário de Estado do governo Franco Montoro”, completou.

A unidade de saúde conta com 24 leitos e atende, por ano, 150 mil pessoas, sendo que 35% deste público é de outras cidades da região como: Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Suzano e até de moradores do extremo leste da Capital. O prefeito Gian Lopes já esteve no Palácio dos Bandeirantes e na Secretaria de Estado da Saúde para apresentar a situação difícil pela qual passa a cidade que corre o risco de fechar o Hospital Municipal Guido Guida, devido ao corte no repasse do ISS à Prefeitura. Nos encontros o chefe do Executivo levou um panorama geral da unidade e apresentou alternativas para que os serviços sejam mantidos com auxílio do Governo do Estado. “Estamos tentando todas as alternativas possíveis”, acrescentou o prefeito.

Mudança na lei
Com a votação no Congresso foi alterada a forma de recolhimento do ISS: hoje, ele é feito pela cidade onde a empresa tem sede, mas passará a ser cobrado no local de prestação do serviço. No município de Poá, o Itaú representa aproximadamente 40% de toda a receita corrente. A cidade é sede das operações de cartões e de leasing do banco.

Foto:
Marcos Corrêa/Presidência da República

você pode gostar também Mais do autor